Que casa é essa?

PROGRAMAÇÃO

CURSOS ONLINE

[12/08] Encontros com o Povo Verdadeiro – Angela Pappiani

[01/09] Livro de Artista e suas extensões gramaticais – curso de extensão universitária, coordenação de Edith Derdyk

[08/09] Oficina de Criação de Livro Ilustrado – palavra e imagem, com Odilon Moraes e Carolina Moreyra

[08/09] Mergulho na História – Linhas, agulhas e teares com Ana Luísa Lacombe

[16/09] Conto de Fadas: Retorno ao País da Infância – com Marco Haurélio – 3º módulo

[24/09] Literatura da interioridade: reflexões sobre espiritualidade antiga – com Arturo Gamero

[29/09] Narrando Infâncias – com Gazel Zayad

[30/09] Onde vive o movimento nas narrativas? A potência de conviver com as imagens e manter o movimento – com Melissa Migliori

[01/10] A linha e seus papéis: indício, desígnio, anotação e acontecimento / 3ª turma – com Edith Derdyk

[01/10] Oficina de poesia: O delírio da palavra – com Tatiana Fraga

[01/10] Resolução de conflitos na sala de aula por meio das Assembleias Dramatizadas – com Ana Lucia Arbex

[02/10] Jornada de mulheres heroicas: histórias que precisamos contar / 3ª turma – com Yohana Ciotti

[06/10] Introdução à técnica do Papercutting/Kiriê – com Ariádine (2ª turma)

[07/10] Dança da mão: desenho solto – com Biba Rigo

[10/10] De infância e nuvens: o contador de histórias e o imaginário infantil – com Giba Pedroza

[10/10] Oficina de colagem: O que é ser criança? – com Sofia Lemos

[14/10] O rito de passagem das fotografias: reinvenção de memórias – com Sandra Lessa e professores convidados

[14/10] Construindo um livro-casa pop-up: a Engenharia de Papel em prol da narrativa – com Gustavo de Magalhães

[15/10] Uma mala corpo casa para viajar – com Jullipop

[20/10] Abrir-se para a escuta: de si e do mundo – com Adriana Friedmann

[21/10] Poesia como ato político – com André Gravatá / 3ª turma

[21/10] Maria Gabriela Llansol: fragmentos de um Cor’p’oema – com Janaina de Paula

[23/10] “Eu me lembro”: escrita de memórias em fragmentos – com Tatiana Barbosa Cavalari

[28/10] A potência da argila na vivência infantil – com Débora Amaral

[28/10] Narraturgia: de curtas-metragens a narração oral – com Gazel Zayad

[28/10] Fantasia e design nos livros ilustrados como conceito e método – com Michaella Pivetti

[04/11] Escritas de quarentena – com Tatiana Barbosa Cavalari

[09/11] A linha e seus papéis: cartografias do desenho – com Edith Derdyk

[09/11] Escutas radicais: ecologia de práticas e práticas em ecologia – com Sebastian Wiedemann

ACONTECEU N'A CASA

[22/04] Que coisa incrível é um livro: história, criação e infâncias – com Cristiane Rogerio e Camila Feltre

[04/05] Entre ser um e ser mil: O livro como espaço poético – com Edith Derdyk

[15/05] A Arte da Escuta: Sobre leveza e exatidão com Giuliano Tierno

[09/06] Educação antirracista com histórias: Mitos e contos africanos e afro-brasileiros – com Giselda Perê

A CASA TOMBADA

LUGAR DE ARTE, CULTURA, EDUCAÇÃO

Inaugurada em 18 de julho de 2015 pelos sócios Ângela Castelo Branco e Giuliano Tierno, A CASA TOMBADA abriga debaixo de um mesmo teto salas de aula, ateliês, biblioteca, espaço para convívio, exposições e conversas em diferentes formatos.

Lugar de Arte, Cultura e Educação na cidade de São Paulo, A Casa tem sido reconhecida pelo trabalho de excelência desenvolvido ao longo dos últimos anos nas áreas de literatura, oralidade e escritura.

Com caráter (in)disciplinar, busca diminuir as fronteiras entre as linguagens artísticas, o fazer e o pensar. Os cursos e encontros que acontecem na Casa são construídos de forma artesanal e estão voltados para os saberes de experiência dos participantes.

TODA AULA É UM CONVITE AO NÓ.
REATAR O QUE ESTAVA
DEMASIADAMENTE FROUXO EM NÓS.

BLOG d'A CASA

autobiografia
[Livros à mão] Para salvar de um incêndio, por Keila Knobel

Há livros em quase todos os cantos da casa, mas a maioria fica no escritório, que é o primeiro cômodo mais próximo da porta de entrada (ou saída) da casa. Reservei um dos nichos da estante para colocar os livros que salvaria do fogo, na quantidade limitada aos que eu conseguiria carregar de uma vez.

manuscrito1
[Saberes d’A Casa] Corpos Elétricos, por Fernanda Pacheco
Durante um semestre, após o acolhimento e as conversas com o professor Júlio Groppa Aquino, passei a encarar o desafio de tentar transformar minhas aulas de História nesse espaço onde semanalmente os alunos parassem para escrever, mas uma escrita livre ou escrita-artista como venho aprendendo com Júlio e lendo também Sandra Mara Corazza. Passei a enxergar as aulas como esse lugar onde se respeita um dos pontos da ética foucaultiana (que aprendi também com o Júlio em referência a Deleuze): a dignidade de não falar pelos outros.