A história de Baal Shem, por Giuliano Tierno
Essa história evoca o princípio sem começo. O princípio como fonte, nascente, ponto de origem, sangue vital. Por vezes nos vemos diante do dito sem princípio. E a compreensão se distancia da linguagem. A linguagem é uma coisa a compreensão outra coisa. Dizer até a borda do princípio. Caminhar em direção à medula. Lá onde o sangue é memória e osso.

 

Escute:

 

Referência:
Agamben, Giorgio. O fogo e o relato. São Paulo: Boitempo, p. 27.

Cursos d'A Casa

[13/03/21] Correnteza: uma jornada de mulher em jogo – com Yohana Ciotti

[09/03/21] Educação antirracista com histórias: mitos e contos africanos e afro-brasileiros – com Giselda Perê

[09/03/21] Ateliê de voz: escuta, experiência e criação – com Renata Gelamo

[09/03/21] Escreviver – com Lúcia Castello Branco

[08/03/21] A Linha e seus papéis – com Edith Derdyk