A palavra tem lugar, sim, no livro ilustrado, por Cristiane Rogerio

 

por Cristiane Rogerio

 

Livro ilustrado. Livro-álbum. Tem palavra ou só imagem? Tem menos texto que antigamente nos livros infantis? Isto representa uma predileção pela ilustração nas obras contemporâneas dedicadas à infância?

A autora e pesquisadora Carolina Moreyra vem há alguns anos nos acompanhando nestas perguntas. Partimos da ideia de que o livro ilustrado é composto pela conexão entre texto, imagem e design, imbricados de tal maneira que a ausência de um deles trava a compreensão da narrativa. “Um tipo de dança”, como sempre repete o companheiro de Carolina, o autor e pesquisador Odilon Moraes. Ambos são nossas referências e como professores d’ A Casa Tombada, fazem nossos estudantes da pós-graduação O Livro Para a Infância: Processos Contemporâneos de Criação, Circulação e Mediação ou da Oficina de Livro Ilustrado: Palavra e Imagem – ambos cursos fixos d’ A Casa – borbulharem em pesquisas.

Mas quem recém chega à discussão fica com a pulguinha atrás da orelha: o texto no livro para crianças está perdendo espaço nos últimos anos? Com a oferta do gênero livro ilustrado tomando conta dos catálogos das editoras brasileiras, esta questão é recorrente. Bem, o que seria, então, este “lugar” da palavra? Para compartilhar com vocês algumas de nossas ideias que nascem nas aulas – e em todo o tipo de conversa – , eu, coordenadora do curso de pós, e Yuri de Francco, autor e estudante da Turma VII, gravamos um bate-papo nosso com Carolina, levantando estas questões.

Carolina é uma das primeiras a firmar pesquisa no livro ilustrado focando a palavra. A partir de seus livros como o O Guarda-Chuva do Vovô (DCL), Lá e Aqui (Pequena Zahar), Lulu e o Urso (Pequena Zahar) – em parceria com Odilon Moraes – e suas experiências com o coletivo de criação Babayaga, Carolina foi conectando sua pesquisa como roteirista, seus passos no estudo do cinema, suas criações no famoso quadro do Fantástico Retrato Falado (estrelado por Denise Fraga) com o lapidar do texto em livros que a imagem também está contando determinada história. É um deleite. Ao lado dela, amamos a palavra cada vez mais. Alargamos as fronteiras.

Livro ilustrado. Livro-álbum. Palavra. Imagem. Livro! 

 

Eis a entrevista em nosso canal no Youtube!

 

 

Legenda da imagem:

Dupla de páginas do livro Lá e Aqui, de Carolina Moreyra e Odilon Moraes, lançado pela Pequena Zahar em 2015

Cursos d'A Casa

[13/03/21] Correnteza: uma jornada de mulher em jogo – com Yohana Ciotti