Entre ser um e ser mil: o livro como espaço poético