[19/07] Núcleo Subjetividade e Contemporaneidade apresenta o Documentário “ECO – Cantos da Terra”

Sobre o lançamento

[ Inscrições encerradas]

 

No dia 19 de julho (sexta-feira), às 19h, será exibido na Casa Tombada o documentário Eco – Cantos da Terra como parte de uma série de encontros que visam problematizar a clínica contemporânea por meio da noção de produção de subjetividade, projeto que tem coordenação de Margaret Chillemi.

 O filme, com duração de 60 minutos, é um registro da pesquisa e do processo composicional do concerto “ECO”, produzido pelo compositor o Rodrigo Reis, e apresentado no Instituto de Artes da UNESP, em São Paulo. A principal motivação de Rodrigo para produzir o vídeo-documentário, foi compartilhar com o público geral como é o cotidiano de trabalho de um compositor contemporâneo durante um processo criativo. Entretanto, vai mais além quando se propõe também a colocar em questão o Antropocentrismo e os modelos patriarcais no contexto da modernidade racional-científica-industrial que inscreve seus valores hegemônicos em paradigmas hierárquicos e predatórios.

Na obra composta para um conjunto orquestral e vozes, o Rodrigo utilizou elementos como galhos de árvore, apitos ornitológicos e motosserra com o propósito de fazer uma dura crítica às políticas ambientais vigentes. Em ressonância com o microtonalismo do compositor Giacinto Scelsi e na trilha de Bernie Krause, o filme mostra o projeto bioacústico de gravações da fauna na região serrana do sul de Minas Gerais, onde os cantos de 18 aves foram transcritos em partituras e orquestrados.

Além disso, investiu na linguagem da performance em diálogo com os pensamentosde Nietzsche, Deleuze e com a Estética da Crueldade de Artaud para expressar e dar visibilidade a valores eco-ético-estéticos.

 

Núcleo de Subjetividade e Contemporaneidade

 

Em encontros que visam problematizar a clínica contemporânea por meio da noção de produção de subjetividade e acontecem de tempos em tempos, sem uma periodicidade definida, convido uma pessoa para conversar sobre algum tema. Até então, os encontros vinham se dando no meu espaço clínico. Com a mudança da clínica para A Casa Tombada, Casa passa a acolher junto comigo a atividade.

Até agora foram abordados muitos assuntos por meio de diferentes modalidades: experimentações na expressão teatral; como em nós se produz um homem; experiências literárias; sexo e drogas na perspectiva educacional, entre outros. 

Além dos encontros estarem relacionados com os agenciamentos subjetivos contemporâneos, o mais importante é a forma como se arranjam e a sua capacidade de afecção.  Pois, o que vem me movimentando a convidar algumas pessoas para estarmos juntos, conversando com mais pessoas, são as forças capazes de mobilizar afectos e nos lançar para outros lugares, inventar outros modos de ser. São encontros onde o paradigma ético-estético-político guia um modo de estar na vida.  E é a potência desses encontros que faz crescer a vontade de compartilhar com mais pessoas, de produzir outras reverberações.

 O convite para o Rodrigo Reis de apresentar e conversar sobre o seu documentário Eco-Cantos da Terra se dá nesse clima.  Nos nossos encontros, aprendemos muito um com o outro.

O Rodrigo, a meu ver, além de ser um clínico e um multiartista, é um ativista, não só ecológico, mas um ativista a favor da vida em todas as suas instâncias. Sendo um inteligente e sensível problematizador das questões da vida, realizou um documentário, a partir das suas investigações, estudos, performances e intervenções, com a diretora independente Tânia Campos, documentarista e diretora do filme, também vai nos presentear com a sua presença.

 

Margaret Chillemi
Coordenadora do Núcleo de Subjetividade e Contemporaneidade

Trailer https://vimeo.com/251197948

 FICHA TÉCNICA:
Direção e edição: Tania Campos
Roteiro e Produção: Rodrigo Reis
Voz: Celina Ramos
Masterização: Flávio Tsutsumi


 

Sobre o compositor – Rodrigo Reis é compositor e regente (2016), com pesquisa e produção voltada para a Ecomúsica pelo Instituto de Artes (IA) da UNESP-SP, teve seu trabalho científico premiado e seu concerto transformado, pelas mãos da cineasta Tania Campos, no longa documental ‘ECO Cantos da Terra’. Atualmente é pesquisador em Artes Performativas no IA-UNESP, onde coordena o Núcleo de Estudos sobre Novas Metodologias de Pesquisa em Artes. É curador do Cine Volver no Lab Mundo Pensante. Desde 2003, agencia o Ecosofia – rede heterogênea, itinerante, autônoma e colaborativa de estudo, pesquisa e intervenção, que articula Arte-Klínica-Micropolítica em espaços públicos, culturais, educativos e terapêuticos.

 

Sobre a diretora – Tania Campos é uma documentarista   e editora, formada em Cinema. Utiliza o método cartográfico para registrar processos artísticos e clínicos. É integrante do Cinema de Prática, um projeto de curadoria e exibição de produções independentes, na Casateliê

Dirigiu o documentário ‘ECO Cantos da Terra’ sobre o concerto de Rodrigo Reis. Mantém o “Diário de Imagens”, uma cartografia aberta na internet, desde 2009, sobre o cotidiano, o tempo e as relações entre as micro e macro camadas da cidade.

 

Sobre a coordenadora do Núcleo de Subjetividade e Contemporaneidade. Margaret Chillemi possui Graduação em Psicologia; Especialização em Coordenação de Grupos Operativos, Mestrado em Psicologia Social e da Personalidade – (PUC – RS) e Doutorado em Psicologia Clinica pelo Núcleo de Estudos e Pesquisas da Subjetividade (PUC – SP). Já se divertiu bastante dando aulas em universidades. Seu campo de investigação e pesquisa é a Produção de Subjetividade Contemporânea em suas diversas modalidades de encontro, especialmente os encontros amorosos e clínicos. Trabalha como terapeuta e supervisora clínico-institucional a partir de alguns referenciais da Filosofia da Diferença, onde o cinema, a música e a literatura são partes dos dispositivos clínicos, da constante invenção de um projeto chamado Clínica: como uma obra aberta.

Quando

19/07
(sexta às 19h)

Público

Interessados nos temas.

Turma

20 vagas

Investimento

Grátis

Outros cursos d'A Casa

[03/08] Bordar é um verbo destinatário

[04/08] Se os Tubarões Fossem Homens: conversa sobre Brecht, relações de poder e livro ilustrado

[22/07] Sessão de Narração de Histórias com Mirta Portillo

[18/07] Comemoração quatro anos d’A Casa Tombada!

[06/08] Quadros sonoros – criação musical a partir da imagem, com Tarita de Souza

[13/08] Ateliê de voz: espaço para escutar, respirar e encontrar a voz própria, com Renata Gelamo

[13/07] Encontro de Mulheres Indígenas

[15/07] A paixão pela palavra – Narrar, escrever e ler para pertencer ao mundo com Kiara Terra

[30/07] Oficina de Asalato, com Daniela Alarcon e Mauro Tanaka

[27/07] Bordado em Livro Sanfona com Priscilla Ballarin

[24/07] Materialidade e Leitura com Camila Feltre e Cristiane Rogerio

[26/07] Lançamento da 3ª Edição da Revista Linguará – C

[22/07] Oficina de Criação de Livro Ilustrado – Palavra e Imagem, Com Odilon Moraes e Carolina Moreyra

[15/08] Poesia Corporal Cênica

[11/09] Tramas e Fios

[21/07] Palco aberto “Objetos na Performance Narrativa”

[21/07] Dom Quixote, o cavaleiro sonhador

[11/09] Tramas e Fios

[15/07] As Chaves Para Contar Histórias com Ana Luísa Lacombe

[06/07] Workshop de ilustração em escultura de papel

[28/06] Show “Mensagem” de Heloisa Bonfanti

[12/09] Resolução de conflitos_Assembleias Dramatizadas e Formação de Grupo

[27/07] A arte de contar histórias na vida de todo dia

[04/06] Ateliê de Voz: espaço para escutar, respirar e encontrar a voz própria

[06/06] O papel da dimensão estética na Educação

[28/05] Vivência Circular: Potência, Poder e Punição

[05/05] Lançamento do livro “O Grande Pato”

[26/04] Uma conversa sobre poesia e pós-poesia com Carlito Azevedo

[29/04] O Objeto Livro: História e Contemporaneidade

[26/04] Sessão Cinema: “Impressão Minha”, documentário sobre publicações independentes com debate

[08/05] A paixão pela palavra – Narrar, escrever e ler para pertencer ao mundo com Kiara Terra

[20/07] II Ciclo “Objetos na Performance Narrativa”

Conto Tradicional: Viagem de Retorno ao País da Infância

[07/05] Cantar a Voz com Nani Barbosa e Renata Gelamo

[06/05] Histórias de Boca: Contos Tradicionais na Educação Infantil

Processos de Criação e Bordaduras

[05/09] Edição de livros – caminhos possíveis

Grupo de estudos Filosóficos

Encontros com o Povo Verdadeiro

[08/03] Para narrar com imagens é preciso saber desenhar? Com Aline Abreu

Histórias e Culturas Afro-brasileiras e Indígenas na Educação – 2º sem/2019

Narração Artística: Caminhos para contar histórias em contexto urbano – 2ºsem/2019

O livro para a infância: processos de criação, circulação e mediação contemporâneos

Caminhada como método para a arte e educação

A vez e a voz das crianças: escutas antropológicas e poéticas das infâncias