Que casa é essa?

PROGRAMAÇÃO

CURSOS ONLINE

[12/08] Encontros com o Povo Verdadeiro – Angela Pappiani

[28/08] Contar histórias, reinventar mundos – com Emilie Andrade / 2ª turma

[01/09] Livro de Artista e suas extensões gramaticais – curso de extensão universitária, coordenação de Edith Derdyk

[02/09] Sobre o animar e o animar-se – com Luiza Christov

[02/09] Colagem: recorte a vida e transforme em arte – com Sofia Lemos / módulo II

[02/09] Poesia como ato político – com André Gravatá / 2ª Turma

[05/09] Ateliê de vídeo para contar histórias – com Yohana Ciotti

[08/09] Oficina de Criação de Livro Ilustrado – palavra e imagem, com Odilon Moraes e Carolina Moreyra

[08/09] Mergulho na História – Linhas, agulhas e teares com Ana Luísa Lacombe

[16/09] Conto de Fadas: Retorno ao País da Infância – com Marco Haurélio – 3º módulo

[24/09] Literatura da interioridade: reflexões sobre espiritualidade antiga – com Arturo Gamero

[29/09] Narrando Infâncias – com Gazel Zayad

[30/09] Onde vive o movimento nas narrativas? A potência de conviver com as imagens e manter o movimento – com Melissa Migliori

[01/10] A linha e seus papéis: indício, desígnio, anotação e acontecimento / 3ª turma – com Edith Derdyk

[01/10] Oficina de poesia: O delírio da palavra – com Tatiana Fraga

[01/10] Resolução de conflitos na sala de aula por meio das Assembleias Dramatizadas – com Ana Lucia Arbex

[02/10] Jornada de mulheres heroicas: histórias que precisamos contar / 3ª turma – com Yohana Ciotti

[06/10] Introdução à técnica do Papercutting/Kiriê – com Ariádine (2ª turma)

[07/10] Dança da mão: desenho solto – com Biba Rigo

[10/10] De infância e nuvens: o contador de histórias e o imaginário infantil – com Giba Pedroza

[10/10] Oficina de colagem: O que é ser criança? – com Sofia Lemos

[14/10] O rito de passagem das fotografias: reinvenção de memórias – com Sandra Lessa e professores convidados

[14/10] Construindo um livro-casa pop-up: a Engenharia de Papel em prol da narrativa – com Gustavo de Magalhães

[15/10] Uma mala corpo casa para viajar – com Jullipop

[20/10] Poesia como ato político – com André Gravatá / 3ª turma

[21/10] Maria Gabriela Llansol: fragmentos de um Cor’p’oema – com Janaina de Paula

[23/10] “Eu me lembro”: escrita de memórias em fragmentos – com Tatiana Barbosa Cavalari

[28/10] A potência da argila na vivência infantil – com Débora Amaral

[28/10] Narraturgia: de curtas-metragens a narração oral – com Gazel Zayad

[28/10] Fantasia e design nos livros ilustrados como conceito e método – com Michaella Pivetti

[04/11] Escritas de quarentena – com Tatiana Barbosa Cavalari

[09/11] A linha e seus papéis: cartografias do desenho – com Edith Derdyk

[09/11] Escutas radicais: ecologia de práticas e práticas em ecologia – com Sebastian Wiedemann

ACONTECEU N'A CASA

[22/04] Que coisa incrível é um livro: história, criação e infâncias – com Cristiane Rogerio e Camila Feltre

[04/05] Entre ser um e ser mil: O livro como espaço poético – com Edith Derdyk

[15/05] A Arte da Escuta: Sobre leveza e exatidão com Giuliano Tierno

[09/06] Educação antirracista com histórias: Mitos e contos africanos e afro-brasileiros – com Giselda Perê

A CASA TOMBADA

LUGAR DE ARTE, CULTURA, EDUCAÇÃO

Inaugurada em 18 de julho de 2015 pelos sócios Ângela Castelo Branco e Giuliano Tierno, A CASA TOMBADA abriga debaixo de um mesmo teto salas de aula, ateliês, biblioteca, espaço para convívio, exposições e conversas em diferentes formatos.

Lugar de Arte, Cultura e Educação na cidade de São Paulo, A Casa tem sido reconhecida pelo trabalho de excelência desenvolvido ao longo dos últimos anos nas áreas de literatura, oralidade e escritura.

Com caráter (in)disciplinar, busca diminuir as fronteiras entre as linguagens artísticas, o fazer e o pensar. Os cursos e encontros que acontecem na Casa são construídos de forma artesanal e estão voltados para os saberes de experiência dos participantes.

TODA AULA É UM CONVITE AO NÓ.
REATAR O QUE ESTAVA
DEMASIADAMENTE FROUXO EM NÓS.

BLOG d'A CASA

manuscrito1
[Saberes d’A Casa] Corpos Elétricos, por Fernanda Pacheco
Durante um semestre, após o acolhimento e as conversas com o professor Júlio Groppa Aquino, passei a encarar o desafio de tentar transformar minhas aulas de História nesse espaço onde semanalmente os alunos parassem para escrever, mas uma escrita livre ou escrita-artista como venho aprendendo com Júlio e lendo também Sandra Mara Corazza. Passei a enxergar as aulas como esse lugar onde se respeita um dos pontos da ética foucaultiana (que aprendi também com o Júlio em referência a Deleuze): a dignidade de não falar pelos outros.