Potências Piratas: histórias da tradição oral e a emergência de cartografias imaginárias – com Ana Gibson e Juliana Franklin

Sobre o curso

Antes de tudo
reconhecer o naufrágio
O mar engoliu as ilhas
inclusive a sua
Tudo ao redor de si
é mar e miragem
– mas você insiste na reinvenção
do arquipélago

Alexandre Shiguehara

 

terra incognita… esse termo apareceu no século XVI para assinalar regiões desconhecidas. A cartografia de então trazia ilustrações de monstros, serpentes marinhas, sereias, muito diferente dos mapas atuais, fotografados por satélites sem qualquer intervenção fantástica. Cá na terra, agora cognita, o mapa está fechado, as fronteiras definidas. Mas a zona autônoma – a imaginação – está aberta… um convite à deriva, à liberdade. Utopia perde seu significado primeiro de lugar nenhum e passa a denotar todos os lugares – é para lá que nos leva a potência pirata: para a experiência de outros tempos e espaços.

Vamos, partindo das histórias tradicionais, propor experimentações com o imaginário, pirata por excelência. Contaminações, contrabandos e subversões com a palavra e a imagem para a criação de cartografias e modos de convivência incapturáveis.

 

Percurso

Encontro 1 (21/01): Utopias possíveis: de piratas e sereias – o chamado ao mar.

Encontro 2 (28/01): Abismos navegáveis: o amor pela viagem – relatos e cartografias da errância.

Encontro 3 (04/02): Mapas de voo: o sonho como caminho – a experiência nômade.

Encontro 4 (11/02): Margens e travessias: a autonomia como germe de um mundo – o triunfo da imaginação.

 

Bibliografia

Bey, Hakim. TAZ: Zona Autônoma Temporária. São Paulo: Conrad; (2011)

Wilson, Peter Lamborn. Utopias piratas – mouros, hereges e renegados. São Paulo: Conrad; 2001

Bachelard, Gaston. A poética do devaneio. São Paulo: Martins Fontes; 2006.

Bachelard, Gaston. A água e os sonhos – ensaio sobre a imaginação da matéria. São Paulo: Martins Fontes; 2002.

Bey, Hakim. Superando o turismo. http://revistacarbono.com/artigos/08-hakimbey-michaelhughes/

Sousa Dias. A utopia íntima da arte. In: O riso de Mozart. Lisboa: Documenta; 2016.

Bondia, Jorge Larrosa. Notas sobre a experiência e o saber de experiência. Red Revista Brasileira de Educação, 2000.

Jarouche, Mamede Mustafa.  Livro das mil e uma noites. Rio de Janeiro: Editora Globo; 2018.

Grupo Granada de Contadores de Histórias. Histórias da tradição sufi. Rio de Janeiro: Edições Dervish – Instituto Tarika; 1993.

Onfray, Michel. Teoria da viagem. Uma poética da geografia. Porto Alegre: L&PM Editores; 2009.

Warner, Marina. Maps and monsters.  https://www.nybooks.com/daily/2014/01/03/maps-monsters/

Yolen, Jane. Sea Queens – women pirates around the world. Watertown: Charlesbridge; 2008.

 

Lista de Material

Da papelaria:
. caderno, lápis e caneta
. giz de cera (ao menos 1 giz de qualquer cor, menos branco)
. material para desenho (hidrocor ou lápis de cor ou giz pastel seco ou oleoso)
. 1 frasco de tinta nanquim ou tinta xadrez das cores azul ou preta (a tinta xadrez pode ser encontrada em loja de material de construção)
. 1 pincel (de preferência largo)
. cola e tesoura
. barbante ou linha de bordado
. 1 agulha de numeração adequada para a sua linha
. tinta guache (1 a 3 cores de sua preferência)

Papéis
. 2 folhas de papel canson A3 (ou papel com gramatura mais espessa de preferência  de tamanho A3)
. 1 folha A3 de papel vegetal ou papel manteiga (rolo que se compra em supermercado)
. 10 folhas de papel ofício A3
. 5 folhas de  papel A4

De casa
. tecido liso cor clara de aproximadamente 10 x 14 cm (algodão ou lona ou pano de prato)
. tampa de papelão (de caixa de pizza ou de sapato, do que tiver)
. 1 a 4 unidades de bola de gude ou bolas feitas de argila ou bolas de cerâmica para jardinagem ou pequenas pedras arredondadas
. Papéis diversos (de diferentes texturas e cores, como folhas de cadernos, papel quadriculado, papelão, jornal, revista, páginas arrancadas de livros…)
. 4 imagens de animais retiradas de revistas ou impressos 

 

Ana e Juliana escreveram o livro “uma história e uma história e uma história – conto dos contos da tradição oral”. Juntas, pesquisam histórias tradicionais, administram a página “A arte de reparar histórias” e ministram cursos como A arte de reparar histórias, Consciência narrativa, Scherazade e a palavra absolutamente imperiosa, dentre outros.

Quem são as professoras

Ana Gibson

Ana Gibson é tradutora, escritora, arteterapeuta, contadora e pesquisadora de contos da tradição oral.

Juliana Franklin

Juliana Franklin é narradora e pesquisadora de contos da tradição oral, arte-educadora e arteterapeuta.

Quando

Dias: 21 e 28/01; 04 e 11/02
Das 19h às 21h

Onde 

Online
As informações de acesso serão disponibilizadas por e-mail.

Público

Geral

Turma

30 pessoas

Investimento

R$ 220,00

PagSeguro
* em até 4X sem juros no cartão de crédito.
* 7% de desconto para pagamentos via boleto bancário.

PayPal
* 7% de desconto no cartão de crédito (parcela única).
* em até 6X sem juros no cartão de crédito.

VOCÊ PRECISA  ESPERAR  A DATA DO CARTÃO VIRAR?
Fale com a gente e reserve sua vaga pelo e-mail cursos.acasatombada@gmail.com 

.

Outros cursos d'A Casa

[09/02/21] Experimentos de escuta e escrita – com André Gravatá

[06/02/21] O lugar onde moram as palavras – com Cristina Taquelim

[06/02/21] Ateliê Dançar o Desenho – com JulliPop

[01/02/21] Ciclo de encontros: Pensamento da descolonização e poética latino-americana: caminhos, narrativas, utopias – com Bruno Simões

[01/02/21] Escrituras do olhar: o trânsito entre a natureza da palavra e a natureza da imagem – com Edith Derdyk

[29/01/21] Fluxos criativos – com Laura Tamiana

[28/01/21] Estar de fora é como estar morto em um corpo vivo: notícias e narração de histórias – com Magno Rodrigues Faria

[27/01/21] Imaginação ou Pensamento? A alquimia dos elementos na formação do pensamento-imagem – com Melissa Migliori

[27/01/21] Diálogos sobre a leveza – com Angela Pappiani

[25/01/21] Oficina de Criação de Livro Ilustrado – com Carolina Moreyra e Odilon Moraes

[25/01/21] As Mil e Uma Noites: o poder da palavra feminina em Shahrazade – com Gislayne Matos / 2ª turma

[25/01/21] Certas afro-particularidades no panorama editorial: escrita, ilustração e leitura crítica – com Heloisa Pires Lima

[21/01/21] Encontros indígenas: conversas ao redor do fogo – Com Mara Vanessa

[19/01/21] A Ética da Paisagem – com João Rocha

[19/01/21] BiograĐmeas: um carteado com o passado feminino Рcom Sandra Lessa e Tatiana Lohmann

[18/01/21] De Infância e nuvens: o contador de histórias e o imaginário infantil – com Giba Pedroza

[18/01/21] A paixão pela palavra: o narrador aberto e a escuta como eixo – com Kiara Terra

[18/01/21] Escovar palavras: democracia e liberdade – com Luiza Christov

[18/01/21] Mergulho na História: As Bruxas – com Ana Luísa Lacombe

[18/01/21] Circular livros hoje: encontros e desencontros – com Anna Luiza Guimarães, Camila Feltre e Cristiane Rogerio