A fotografia como arte literária - com Dúnya Azevedo

Sobre o curso

A fotografia costuma ser vista e tratada como arte assim como a pintura o é. Mas ela é também pensada como uma arte literária, em que o fotógrafo não é somente um manipulador de formas, mas um narrador, alguém que conta uma história por imagens. Nesse sentido, a fotografia é lugar de construção de uma certa visão de mundo do autor. A proposta deste curso é atribuir voz a nossas histórias (pessoal ou coletiva) e compreendê-las pelo método da montagem.

Faremos juntos um exercício poético de construção de uma narrativa por imagens ou imagens/palavras que poderá se desdobrar em um fotolivro ou livro de artista. 

Importante: é aconselhável que os participantes tragam suas fotografias para compreendê-las como conjunto e construir um ensaio.

 

Percurso

Encontro 1 (19/07): A montagem
Discussão sobre a noção de “montagem”, a partir de alguns autores e artistas ligados ao tema.

Encontro 2 (21/7): Primeiras imagens
Apresentação das ideias iniciais de cada participante e primeiros passos para a construção de um ensaio visual.

Encontro 3 (26/7): A fotografia como narrativa
Construção conjunta de uma série narrativa pelas imagens fotográficas e outras.

Encontro 4 (2/8): Compartilhamento
Apresentação dos resultados e caminhos para a posterior construção de um fotolivro ou livro de artista. 

 

Bibliografia sugerida

CAPAVERDE, Tatiana da Silva. Interseções possíveis: o mini-conto e a série fotográfica. Dissertação (Mestrado em Literatura Comparada) Universidade Federal de Porto Alegre, UFRGS, 2004. Disponível em  https://lume.ufrgs.br/bitstream/handle/10183/6117/000436913.pdf?sequence=1&isAllowed=y

DIDI-HUBERMAN, Georges (org.) Levantes. São Paulo: Sesc São Paulo, 2017.

LAMPERT, Letícia. Dobras Visuais. Fotolivro ou livro de artista, eis a questão. 2015. Disponível em http://www.dobrasvisuais.com.br/2015/06/fotolivro-ou-livro-de-artista-eis-a-questao-por-leticia-lampert/

ROUILLÉ, André. A fotografia: entre documento e arte contemporânea. Tradução 

Constancia Egrejas – São Paulo: Editora Senac São Paulo, 2009.

SILVEIRA, Paulo. A página violada: da ternura à injúria na construção do livro de artista. Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Porto Alegre: UFRS, 2008. Disponível em: https://livrosdefotografia.org/publicacao/23811/a-pagina-violada-da-ternura-a-injuria-na-construcao-do-livro-de-artista

Quem é a professora?

foto Dúnya(1)

Dúnya Azevedo é fotógrafa, designer, professora e pesquisadora nas áreas de imagem fotográfica e das relações entre arte, documento e memória. Autora do ensaio “Hotel Imperial”, publicado pela Vista – Revista de Cultura Visual do Instituto de Ciências Sociais da Universidade do Minho (Portugal), doutora em Comunicação Social pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), mestre em Design pela Escola Superior de Desenho Industrial (UERJ). Tem experiência docente de 20 anos em cursos de graduação, especialização e mestrado, ministrando disciplinas ligadas à fotografia documental, linguagem visual, ao fotojornalismo e design editorial.

Quando

Dias 19, 21, 26/7 e 2/8
Das 19h30 às 21h30h

 

Onde 

Online
As informações de acesso serão disponibilizadas por e-mail.

Público

Geral

Investimento

R$ 280,00

PagSeguro
* em até 4X sem juros no cartão de crédito.
* 3,5% de desconto para pagamentos via boleto bancário.

PayPal
* 3,5% de desconto no cartão de crédito (parcela única).
* em até 6X sem juros no cartão de crédito.

VOCÊ PRECISA  ESPERAR  A DATA DO CARTÃO VIRAR?
Fale com a gente e reserve sua vaga pelo e-mail cursos.acasatombada@gmail.com 

Informações sobre bolsa
Clique aqui

Outros cursos d'A Casa

[31/07/21] Bate-papo: Paraskeué e os processos de cura – com Flávio Fêo e Naine Terena

[27/07/21] Contar e Visualizar: Transpondo as Imagens para o Corpo e a Palavra – com Simone Grande

[27/07/21] Poesia marginal e periférica – com Jéssica Balbino

[27/07/21] Mergulho da História: o Lobo – com Ana Luísa Lacombe

[26/07/21] Evolurir ou rirvolucionar: a graça de viver – com Paulo Federal (Palhaço Adão)

[26/07/21] Narração de Histórias e o Direito à Preguiça – com Giuliano Tierno

[26/07/21] O ovo, a tartaruga e a noite: mitos de origem e o gesto criativo – com Ana Gibson e Juliana Franklin

[24/07/21] Rodas populares – com Xavier Francisco

[24/07/21] A arte de narrar histórias pretas – com Giselda Perê

[23/07/21] Uma leitura indígena sobre o Pensamento de Fanon – com Geni Núñez

[23/07/21] Masculinidades: sociedade, política e subjetividade – com Marcos Felinto e Viny Rodrigues

[22/07/21] #artistaDEFpresente: novas perspectivas sobre o corpo com deficiência – com Estela Lapponi

[22/07/21] “(…) Ou talvez tanta revolta” – Educação, Literatura de autorias negras e Construção de Imaginários – com Juliana e Magno

[21/07/21] Estudos para nascer palavra – com André Amaral

[21/07/21] Poéticas caiçaras: memórias subterrâneas e oralidade pulsante – com Janaína de Figueiredo

[20/07/21] O sacy conta sua história – com Tati Fraga

[20/07/21] Invenção Literária: do começo aos meios – com Cristino Wapichana

[20/07/21] Entre infâncias e literaturas – com Juliana Correia

[20/07/21] Férias com a Carroça de Mamulengos

[20/07/21] III Ciclo de encontros: Poética latino-americana e pensamento da descolonização: caminhos, narrativas e utopias – com Bruno Simões

[19/07/21] C.A.S.A./Combo de Arte Sonora & Afins – com Ricardo Aleixo

[19/07/21]Conversas ao pé do fogo. Viver e contar: a maravilha dos mundos – com Mara Vanessa

[19/07/21] Conto de acordar memória – com Giba Pedroza

[19/07/21] A mulher que se escreve – com Ciça Lessa